J. O. L. V. – Gerente de Qualidade

Eu sou um excelente profissional. Estudo muito, leio, sou engenheiro (2 faculdades) e fiz 2 pós e um mestrado. Até que um dia a Cristina começou a fazer um processo e Desenvolvimento de Liderança na nossa empresa.

Tínhamos os nossos encontros em grupo e eu sempre achava que era melhor que os meus colegas. Todas as vezes que ela nos indicava um livro para complementar nosso trabalho, eu tinha 3 para indicar, excelentes na minha visão. Um dia me surpreendi quando o Presidente da empresa me colocou no Coaching Executivo para que ela me atendesse. Eu era perfeito, para quê fazer isso.
Aceitei, mas não absorvi. Ela decidiu fazer um tal de Coaching Sistêmico (em grupo com os meus funcionários). Achei ótima a idéia, assim ela veria que eu não tinha nada para mudar mesmo, afinal eu contratei toda a minha equipe, investi em cada um deles, tinham algumas limitações por isso eu era o chefe.


O resultado do primeiro encontro deles com ela foi uma catástrofe. Eles tiveram a coragem de listar 20 defeitos que eu tinha, era só reclamação. O único ponto de elogio é que eu tinha uma excelente formação. No encontro individual quando ela me passou essas informações, primeiramente rejeitei, neguei, fiquei com muita raiva dela e da equipe. Ela foi me acompanhando, fizemos um plano de ação sobre mudanças de atitudes. Confesso que me fechei por uma semana até começar a despertar e perceber que tudo aquilo era verdade. Sai desse estado letárgico e comecei a promover as mudanças. Já tinha um plano de ação, passei a executar. No segundo encontro que ela teve com a minha equipe, de acordo com a Cris, eles estavam leves, felizes, de 20 itens, em um mês, houve uma redução para apenas 3 pontos a aprimorar.


No encontro seguinte a minha raiva já não existia, mas um profundo sentimento de gratidão pela empresa pela oportunidade de aprimoramento e pela Cris por ter ousado e enfrentado uma situação acomodada para mim. No fundo, em vinte e poucos anos em carreira executiva dentro de empresas multinacionais, nunca alguém me deu um feedback e me direcionou para uma mudança efetiva e produtiva. Tudo que tem a primeira vez, não é fácil, mas valeu e como!

J. O. L. V. – Gerente de Qualidade